Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

StartApps

Um blog de Teresa Noronha sobre Startups, Apps e empreendedorismo em português.

App Top Gerês

Geres_2.jpg


  (Fotografia Teresa Noronha)


 


Quando era pequena passeava no Gerês, de férias, com os amigos herdados por parte do meu pai, que eram do Porto. Do que me recordo é de uma paisagem espetacular, de um verde extraordinário, de passear numa carrinha com o meu pai, o amigo e as duas famílias. Ao todo eram duas familias de 4. O meu pai tinha neste seu amigo uma amizade verdadeira, uma alegria permanente que se repetia todos os anos. Quando nos encontravamos sabiamos sempre que era um tempo de grande alegria. Eram amigos da tropa, do Ultramar. A história que se cruza com a nossa vida.


 


Nestes momentos de alegria, nunca pensei quando estavamos a passear que não tinhamos praia, ou que o melhor era estar a banhos, assim meia mole a ver os dias passar. Tudo isto é o que me faz recordar o Gerês.


 


Este ano, a minha "Tropa do Caminho", também galgou o Gerês e eu senti uma grande alegria ao ver as imagens partilhadas e aquele verde, aquela Luz e os rios. Tanta vida em conjunto, reportou-me à minha alegria, ao meu pai, ao Videira, á Ana e a alegria da amizada que se cumpria também em nós crianças. Em mim, na minha irmã, no Zé e no Luís. E por isso mais uma vez acho graça, que a vida seja assim e que a minha "Tropa do Caminho" esteja sedeada no Porto.


 


Estas situações levaram-me a instalar uma App: TopGerês e esta semana só vos falo de Apps bem conseguidas. A Top Gerês é uma App com boa informação, credivél e de confiança.


 


É uma App simples com disponibilização de informação nas áreas de: Alojamento, Restaurantes, Pontos de Interesse e Atividades. Informação boa e credível. Acredito que a App ainda esteja em evolução.


 


O meu conselho é que não fiquem pela App e que sirva apenas para vos aguçar o apetite, para escolherem um excelente destino para o contacto com a natureza, a alegria e a diversão. 

App Casamentos.pt

Casamento.png


 (Fotografia retirada da Internet)


 


Esta App funciona, é o que vos tenho a dizer. Porque tenho amigas que estão noivas e outras que estão a ajudar a preparar casamentos, decidi investigar a App e gostei!  


 


Esta é uma App que é agrádavel, tem as funções que se espera e vai um pouco mais além. Boa informação, usabilidade e um toque de requinte. 


 


A Área Organizador contem:


1. Lista de Tarefas;


2. Gestão da Lista de Convidados:



  • Se é da parte da noiva ou do noivo;

  • Se está ou não confirmado;

  • A que grupo pertence (familiar de, amigo de...)

  • Se é adulto ou criança e contabiliza logo para o número de pessoas e ementa associada de acordo com este perfil;

  • E faz uma estatística sobre os convidados, quantos homens, mulheres, crianças e bebés.


3. Gestão da Lista de Fornecedores:



  • Espaço;

  • Catering;

  • Fotografia;

  • Video;

  • Música;

  • Carro dos noivos;

  • Convites;

  • Lembranças;

  • Flores e decoração;

  • Animação;

  • Organizadores;

  • Bolos;

  • Noiva e Acessórios;

  • Beleza e saúde;

  • Orivesaria;

  • Lua-de-mel.


4. Gestão de Orçamento;


5. Escolha de Vestidos.


 


Existe uma Área de Inspiração com as áreas de: 



  • Crónica de Casamento;

  • Catálogo de Vestidos;

  • Ideias e Conselhos


 


Tem uma área colaborativa que se chama Comunidade para os noivos e organizadores falarem de tudo o que lhes importar, com a certeza que alguém do outro lado está interessado no tema.


 


Há um sorteio de 1.00 Euros e todo o suporte para criar site, Wedshoots e tudo o que imaginarem!


 


Quando testei Quintas e locais, aparecem imensas, com informação completa desde os locais ao orçamento por ementa. Quando pesquisei vestidos, também funcionou como esperado. Parece-me por isso que os noivos deste país têm muito a ganhar em utilizar esta App organizadora e cheia de ideias e de indicações.


 


Força nisso, façam deste dia um dia muito especial!  (Casamentos.pt, quanto a mim, estão de Parabéns.)


 

Apps que fazem falta #4: App do Emigrante

emigrante.jpg


 (Fotografia retirada da internet)


 


Ser Verão e não falar de emigrantes num blog, seria no mínimo falta de respeito. Mas a verdade é que já passei pela mesma situação; já fiz as malas e voei com a minha filha que tinha apenas 2 meses e com as minhas duas gatas, para ir ter com o meu marido, que entretanto foi à frente. Será um exagero dizer que fui emigrante, porque fui por pouco tempo, mas verdade seja dita que me lembro bem do sentimento de falta de pertença. Também considero que me abriu os horizontes, reduziu-me os medos, tornou-me mais tolerante com outros usos e costumes e sobretudo deu-me uma visão de que o mundo inteiro afinal não é assim tão imenso e que o Canadá passou a ser logo ali, na próxima paragem do avião. 


 


Nesta experiência por vezes senti-me à deriva, apesar do apoio de todas as pessoas. Não existia uma informação estruturada como por exemplo, caso seja português e queira emigrar para o destino X, faça isto: e apareceria uma lista lógica de coisas com os respetivos locais onde se tratar das mesmas, de preferência com moradas e valores. Daí esta sugestão.


 


Funcionalidades:



  1. Escolha o País, Cidade e Região;

  2. Tratamento do Processo de emigração:



  • Passaporte: local, morada, documentação e valor a pagar;

  • Segurança Social: local, morada, documentação e valor a pagar;

  • Saúde: local, morada, documentação e valor a pagar;



  1. Portal de Emprego



  • Como arranjar emprego?


    • Profissões;

    • Sites de Emprego;

    • Sugestões.




  1. Transportes

  2. Como arranjar casa

  3. Informações Gerais



  • Onde comprar produtos portugueses;

  • Comunidades de portugueses;



  1. Notícias



  • Emigrantes Portugueses no Mundo;

  • Artistas Portugueses de visita;


 


Eu sei e parece básico, mas a verdade é que esta informação bem estruturada pode ajudar muito, e muitas vezes ajuda a desfazer equívocos. O contacto com os nossos, em situações de emigração ajuda a esbater a saudade, a partilhar e a confortar, sobretudo pela ausência do tudo o que se era antes de ir para fora. Aqui fica a ideia e o desejo de umas excelentes férias, de preferência em Portugal, para todo o emigrante Nacional!


 

Jogo: Pokemon go e um novo mundo pela frente

Pokemon_Go.jpg


(Imagem retirada do Youtube)


 


 


Desde sexta-feira, dia 15 de Julho de 2016 que o Pokemon Go está oficialmente disponível em Portugal. Toda a gente sabe, toda a gente se questiona e toda a gente acaba por instalar.


 


A história do jogo é apanhar e treinar Pokemons que se encontram em locais, mais ou menos próximos do jogador e chegando ao local apanhamos virtualmente o Pokémon no Pokémon spot.


 


O que tem de extraordinário? O facto da Nintendo ter conseguido concretizar algo que há muito se considerava o futuro da tecnologia, mas que tem sido difícil de alcançar. A conjugação do mundo real com o mundo virtual.


 


O que é que se diz? Que está tudo louco! Mas a verdade é que nem que seja para experimentar a tecnologia o melhor é não viver na ignorância e caçar uns Pokemons.


 


É ver mães a esperarem pelos filhos que na rua à medida que vão passando vão apanhando os seus pokémons. Existem cidades como Guimarães a apostarem forte nos pokémons para obterem mais circuito turístico, já foi criado o serviço de táxis que fazem circuitos para ajudarem os jogadores a apanharem mais rapidamente pokémons, é todo um novo conjunto de opções que inicia, com algum exagero, como acredito que tenha sido quando apareceu a televisão… mas um pouco mais à frente.


 


Considero que o futuro passa pela utilização de serviços em modo virtual, a possibilidade de apontar um smartphone e saber se algum dos carros que se encontra ali presta serviços de transporte, ou a indicação de qual a distância a que o carro de serviço de passageiros mais próximo se encontra e isso agrada-me. O facto de poder informar a leitura da água, gás e eletricidade de uma forma virtual, facilita. O sonho de estar em casa com o último pacote de leite, apontar o smartphone e passar a constar na minha lista de compras.


 


É uma grande alteração, é um passo grande tecnologicamente falando para o qual nos estamos a preparar.


 


Considero que a ideia não é vivermos no mundo virtual, seja das Apps, seja da novela da noite, a ideia é retirar partido do que passa a estar à nossa disposição, com alguma consciência.


 


Percebo que o tema das crianças é o mais sensível e que o apelo à natureza, a viver, a sentir, a correr terá de ser sempre o primordial, sobre pena de não saberem quem são. Considero também que devem existir regras que devem variar por idades. Mas considero que não devemos excluir do conhecimento e como em muitas coisas, deverá ser um conhecimento partilhado. Aqui fica o alerta da PSP.


 


Aqui no blog o tema deste tipo de aplicações vai ser abordado. Caso queiram fazer questões, sejam vossas, dos amigos, caso considerem mais ou menos tontas todas são válidas. Estejam à vontade para perguntar e partilhar artigos. Aqui o espaço também é vosso!

One Touch Reveal: App de apoio ao controlo da diabetes

No último relatório de estudo da Diabetes em Portugal que ocorreu em 2015, sobre os dados de 2014, a prevalência estimada da Diabetes na população portuguesa com idades compreendidas entre os 20 e os 79 anos (7,7 milhões de indivíduos) foi de 13,1%, isto é, mais de 1 milhão de portugueses neste grupo etário tem Diabetes.


 


A diabetes é uma doença que necessita de controlo dos valores de glicémia e para isso são utilizados marcadores com testes. Estes marcadores com testes são vendidos na farmácia e possibilitam fazer o controlo dos valores da glicémia e caso seja necessário verificar se é necessária a administração da injeção de insulina.


 


 


Diabetes_2014.png


 


 


Neste contexto a Lifescan, melhorando a sua oferta e facilitando a vida de quem tem de lidar com esta doença no dia-a-dia, lançou uma App que sincroniza com os seus marcadores e possibilita de uma forma automatizada o registo dos valores de glicose no sangue. Este registo possibilita várias coisas, como:



  • Apresentar a evolução dos valores ao seu médico assistente


 


 


One Touch Reveal_1.jpg


 


 



  • Detetar padrões de ocorrência de picos de glicémia no sangue;

  • Representação gráfica dos valores por dia nas diferentes horas do dia;


 


 


One Touch Reveal_2.jpg


 


 



  • Ter alertas para os horários em que deve fazer os testes com o marcador;

  • No caso de acontecer algum problema de saúde à pessoa que está a utilizar a App, apenas bastará que acedam à App para obterem o registo do estado da diabetes nos últimos tempos.


 


 


One Touch Reveal_3.jpg


 


 


Para além destas funcionalidades possibilita que no caso de estar a ser utilizado o marcador o utente se desloque ao seu médico e caso ele tenha a App instalada em algum equipamento, o utente pode descarregar através de sincronismo direto, todas as ocorrências dos últimos dias, mesmo que o utente não tenha feito nenhum apontamento.


 


Esta App que funciona com os marcadores da Lifescan, também funciona com a introdução manual dos resultados. Ou seja, não depende do sincronismo. Caso esteja a utilizar outros marcadores e queira utilizar a App e os registo que tem acumulado, pode fazer de uma forma manual e sem perder o histórico dos mesmos.


 


Como não tenho esta questão na minha vida, pedi a um amigo para utilizar esta solução. Foi com base em informação real que foram capturadas as imagens. Ambos consideramos útil para qualquer pessoa que tenha ou venha a ter de lidar com a situação esta facilidade no registo e a possibilidade de o ter sempre por perto.


 

Apontamento de Humor #2

Por Falar Noutra Coisa.png


(Imagem retirada do blog)


 


Sabem aquelas coisas que não acontecem a ninguém?! Pois é, quando fui conversar com o Guilherme Duarte da Tap My Back, no final da nossa conversa, explicando o projeto aqui do blog, saio com esta pérola:


“- Sim, isto depois no final acaba tudo como cómicos, não é? Como a Pipoca.”


Ao que ele responde:


“- Por acaso, eu sou. Faço aí umas coisas.”


E eu, do alto da minha ignorância (mas já encavacada) ainda digo qualquer coisa do género:


“- Eu estou a dizer isto, porque ela agora já faz stand-up e é de facto uma blogger com muito sucesso, há muitas pessoas que a seguem. Eu também.”


Ao que ele me responde:


“- Sim, sim. Eu no outro dia até fiz aí uma coisa com ela e saiu-se bem.”


 


Conclusão e moral da estória. O Guilherme Duarte da Tap My Back, é o Doutor G. o Guilherme Duarte do Blog Por falar noutra coisa e eu depois de pesquisar vi o cartaz do dito evento e lá estava o Guilherme, mas uma pessoa nem pensa que aquela pessoa tem outra vida. Depois de conhecer o trabalho dele senti, que mais uma vez estas coisas não acontecem a mais ninguém, exceto a mim. Quando tento ser engraçada e dizer uma coisa altamente improvável consigo muitas, mas assustadoramente muitas vezes acertar no alvo.


 


Para me redimir tenho seguido a página no facebook e o Blog dele. Já me ri a valer, porque há piadas muito inteligentes, embora às vezes um bocadinho javardas. Mas é informático e do Sporting, que são coisas com as quais me identifico e com as quais ele brinca muito bem enquanto diz umas grandes verdades.


 


Conheci uma estrela e nem sabia… que valente desinformação. 


 


Malta e uma App que agregue toda a informação pública que um cidadão tem online? O que vos parece? A mim parece-me que estou a precisar!

Smartphone review#1: Asus Zenfone2 Deluxe Special Edition

 


Zenfone_1.jpg


(Fotografia Andreia Trindade) 


 


O Zenfone 2 da Asus foi o primeiro smartphone a oferecer 4GB Ram e um processador de 64bits. A versão que vos vou falar é a Deluxe Special Edition aumenta a capacidade do Zenfone 2 para um máximo de 256GB de armazenamento.


 


Design e Construção


 


O Asus Zenfone2 Deluxe Special Edition é um smartphone que apresenta um design sólido e bem definido sendo o material de eleição na sua construção o plástico. Apesar disso as suas especificações técnicas conferem-lhe uma posição no segmento high-end (avançado ou de alta capacidade).


 


No que respeita à localização exterior, na parte superior existe o botão para ligar/desligar, um microfone para cancelamento de ruído e uma entrada para os headphones.


 


Na parte inferior temos uma entrada micro USB e um microfone. O botão de volume situa-se na parte traseira do modelo por baixo da câmera de 13MP e do Flash LED duplo.


 


Na parte frontal o Zenfone 2 Deluxe Special Edition apresenta uma câmara de 5MP, altifalante e 3 botões capacitivos não iluminados.


 


O equipamento é também fornecido com duas capas diferentes sendo uma estilo carbono e a outra estilo diamante e headphones.


 


 


Zenfone_2.jpg


 (Fotografia Hugo Noronha)


 


Ecrã


 


Apresenta um ecrã IPS capacitivo ( é uma tecnologia de cristal líquido TFT) 16M com 5,5 polegadas e resolução Full HD (1920x1080p) com densidade de 403 pixeis por polegada. A qualidade é boa, revelando um elevado nível de definição e nitidez. Existe sempre a possibilidade de personalizar os diferentes parâmetros configuráveis como brilho, contraste ou cor. A resposta ao toque é quase instantânea, possuindo uma camada de proteção contra impressões digitais a qual proporciona uma interação muito suave com o ecrã Gorilla Glass 3.


 


Software


Vem de fábrica com o Android Lolipop 5.0, assim como a sua plataforma aplicacional ZenUI


 


Performance


Apresenta um processador de 64bit (Intel Atom Z3590 Quad Core 1,33GHZ), 4GB de memória RAM e uma placa gráfica Imagination PowerVR Rogue G6430, o que faz deste smartphone um autêntico “avião a jato”. Pelo facto de apresentar um processador Intel, garante uma performance sólida e estável, suporta uma grande capacidade de memória RAM, proporciona maior segurança, reprodução rápida de videos 4K, maior detalhe para quem gosta de jogar e uma gestão otimizada do consumo de energia. Desta forma podemos afirmar com segurança que o seu funcionamento é fluído, suave e sem bloqueios. As suas especificações permitem-lhe executar várias aplicações em simultâneo (multi tasking), as quais necessitam de muitos recursos como é o caso de jogos e aplicações em 3D, eu diria que este smartphone executa esta tarefa como nenhum outro. Para o provar, este modelo vem já com a pré instalação do jogo Asphalt Airborne 8


 


Foto Asphalt 8, que é um jogo de carros bastante exigente graficamente.


 


Audio


A qualidade áudio satisfaz o utilizador, tanto na vertente de chamada telefónica como na audição de música. Através da aplicação nativa da Asus para audição de música temos acesso a diferentes equalizações pré estabelecidas como pop,rock,metal,etc e podemos personalizar a audição. A gravação de conversas também funciona de forma positiva, aumentando o som da conversação de proximidade e diminuindo muito o ruído de fundo.


 


Câmara


A camara traseira e principal do Zenfone 2 Deluxe Special Edition apresenta uma resolução de 13MP e abertura de f2.0. e a sua performance é bastante boa. Ambas as câmaras possuem tecnologia Pixel Master 2.0 que otimizam imagens com deficiência de luz. Possui também o modo Backlight (Super HDR) o qual aumenta até 4 vezes mais o contraste das cores presentes na imagem. Para tirarmos uma fotografia podemos tocar no ecrã ou carregar no botão de diminuir o volume presente na sua parte traseira do aparelho.


 


Zenfone_3.jpg


 


Zenfone_4.jpg


 


Bateria


Traz uma bateria de 3.000 mAh fixa com o sistema de carregamento rápido Boost Mater, permitindo o carregamento de 60% da bateria em apenas 39 minutos. O próprio sistema operativo e o processador estão otimizados para gerir de forma eficiente a memória, fazendo deste dispositivo um dos aparelhos com maior autonomia do mercado. A Asus oferece aplicações já instaladas que fornecem modos pré estabelecidos para gestão de memória como por exemplo o modo ultra económico, otimizado ou personalizado.


 


 


Zenfone_5.jpg


 (Fotografia Andreia Trindade)


 Resumo:


O que mais valorizo no equipamento:



  • Preço baixo e bastante competitivo para o seu segmento

  • Dual Sim (possibilidade de ter cartão de duas operadoras distintas no mesmo equipamento e utilizar para fazer chamadas a operadora que me é financeiramente mais vantajosa)

  • Processador de 64bit Intel e 4GB de memória RAM (capacidade técnica para que o equipamento não bloqueie e o tempo de resposta seja o ideal);

  • Opção de carregamento rápido BoostMaster

  • Boa imagem: Pixel Master 2.0 e boas fotos

  • 256GB de armazenamento: poder descarregar muitas aplicações, suportar muitas fotos, guardar vídeos e gravações sem estar a pensar no que é que vou ter de apagar, para mim neste momento é algo que valorizo a valer.


O que sugiro que seja melhorado:



  • Iluminação dos botões capacitivos, 

  • Deixar a opção bateria fixa,

  • Aumentar o tempo de autonomia do equipamento


  


Especificações técnicas: aqui

À Conversa com #2:Tap My Back (2ª Parte)

14.jpg


 (Fotografia Andreia Trindade)


 


Continuação da conversa com o Guilherme Duarte da Tap my Back, que teve inicio aqui


Hoje deve de estar tudo motivado!


 


Para feedback, para além de ouvirem os clientes, usam analytics?


Sim temos muita preocupação em utilizar a componente analítica. Temos uma preocupação na medição constante e em tomar decisões sempre com base nos dados e não no instinto, que é sempre difícil, porque temos sempre uma ideia que devemos ir num determinado sentido. Embora surjam daí as ideias, se tivermos uma base analítica para tomarmos decisões é muito melhor. Focamo-nos muito nisso. Saber quais são as funcionalidades que as pessoas estão a usar, quantos taps dão por semana, se instalam a aplicação quantos dias demoram a usar, etc.


 


O vosso modo de funcionamento disponibiliza uma versão trial? Este modo funciona bem?


Sim funciona. Temos empresas que descarregam a aplicação, adicionam as equipas, utilizam a versão trial e no final compram a licença e nós nem tivemos nenhuma interação até à altura com o cliente e é na altura do pagamento que sabemos, “Olha recebemos um cliente novo.”


A Tap My Back diz que funciona em qualquer tipo de equipamento, desde o PC até qualquer um dos dispositivos móveis. Sendo esta uma das principais problemáticas na construção de Apps, como é que resolveram esta situação?


Inicialmente quando montamos o Tap My Back era uma web App para correr nos browsers, via internet. Nós não desenvolvemos produtos nativos, para iOS, Android, Microsoft, o que nós temos é o código base que é da web App e depois utilizamos um ambiente de desenvolvimento que faz a exportação do código web para as aplicações e garante que funciona em todos os dispositivos e plataformas.


Eu utilizo durante o dia de trabalho na web e em casa utilizo a versão mobile, acaba por ser para usar nas duas plataformas. Quando estamos a falar de empresas com 30 pessoas, que não estão sempre juntas, porque estão em cliente ou porque estão aqui ou ali, essa importância é maior, porque eu posso à distância reconhecer alguém, dar-lhe os parabéns perante toda a gente e se calhar metade da equipa está espalhada e não se vêm, só nas festas da empresa e assim podem ver quem é que está a fazer um bom trabalho. Então às vezes o critério não é tanto a dimensão da equipa, mas a forma como eles operam.


 


Metodologia, vocês utilizam?


Scrum adaptado à nossa flexibilidade. Temos algumas rotinas definidas, com reuniões de 5 minutos de final do dia só para fazer o status, uma reunião mensal para programar o mês todo, uma reunião heack days em que temos um desafio específico que tem de ficar resolvido naquele dia, hands-on.


 


Novos produtos ou novas funcionalidades?


O Build Up Labs, constrói start ups, tem uma equipa core e nós vamos criando várias start-ups lá dentro. Por isso, neste momento a mesma equipa tem outros produtos e a metodologia é: temos a ideia, queremos fazer x ideias por ano. Queremos sempre pôr no mercado 4 ou 5 ideias por ano e fazer um MVP, produtos que já têm algum valor de mercado para ser testado, testar no mercado, ver se tem potencial de mercado, se tem aceitação, recolher feedback. Se não tiver aceitação, matamos a ideia e rápido, para não gastamos energia, se acharmos que tem possibilidade, tentamos fazer crescer e depois existem duas hipóteses ou se mantém no labs como produto autossustentável ou vamos à procura de investimento, fazemos um spin off, atribuímos um CEO e ele continua com essa start-up e nós continuamos como co-fundadores tecnológicos da empresa. É o modelo. Ideias para o futuro há muitas, estamos a testar 3 ou 4 neste momento para ver qual é o caminho. Vamos ter uma start-up nova a seguir ao Verão, são duas raparigas portuguesas que trabalham em Londres que se vão despedir para vir para cá, precisavam de um parceiro tecnológico e também temos esse modelo. Se uma pessoa tiver uma boa ideia e acima da boa ideia tiver um perfil de CEO e precise da nossa parceria tecnológica, nós confiamos. Esta nova empresa vai fazer parte da Build up Labs. Nós vamos ser Co-fundadores tecnológicos e elas vão ser as CEOs, vão à procura de investimento e de fazer crescer o produto.


 


E todas as empresas são na mesma área?


No Build up Labs o princípio é que sejam soluções: Social by design, e com a camada de valor acrescentado de inteligência artificial. Quando nós pensamos em novas ideias, pensamos sempre, se podem encaixar nesse modelo. Por exemplo o Tap My Back tem a componente social de atribuição dos prémios entre a equipa e a componente de inteligência artificial que estamos agora a tentar adicionar. Fazer com que os team leaders possam receber relatórios e perceber o que se passa na equipa, indicar como é que eles devem agir de acordo com todas as interações que se criam dentro da equipa. Perceber que padrões de pontuação existem, tentar perceber as redes dentro das pequenas equipas que funcionam bem dentro da empresa umas com as outras, uma série de insights. Como sabemos o que está a acontecer com as outras empresas, tentar também detetar padrões e portanto queremos trazer essa camada mais inteligente para a nossa aplicação. Mas o foco pode ser negócio de empresa, como é o Tap My Back ou cliente final, como esta que vem aí que é direcionada diretamente para o consumidor. São ideias novas que vão surgindo, nós reunimos, vamos fazendo um ranking das ideias. Ás vezes apresentamos ao resto da empresa aqui da comOn para eles perceberem a ideia, uma espécie de shark tank em que eles são os tanks e vão votando só para sabermos o que é que acham com um pequeno pitch. Mas é difícil saber quais são as ideias que vão funcionar. Ideias não faltam.


 


07.jpg


 (Fotografia Andreia Tr


 


Quais são as vossas Apps de referência?


A App que usamos todos os dias é o slack, que fez com que nos livrássemos um bocadinho do Skype e do e-mail. O Trello para gestão de projeto, principalmente agora o Trello conjugado e integrado com slack. O Facebook para descansar do trabalho, que também é preciso.


Este é mais um exemplo de uma App de sucesso Made in Portugal espalhada pelo mundo.


 


Muito sucesso e que tudo vos corra bem! Tap My Back, uma grande ideia e uma excelente realização. Com tantas novas e boas ideias de certeza uma App com futuro.


 

À Conversa com #2:Tap My Back (1ª Parte)

Tapmyback_1.jpg (Fotografia Andreia Trindade)


 


Na semana passada fui conhecer a equipa da Tap My Back. Integrada na Agência de comunicação comOn especializada em meios digitais, a equipa trabalha num ambiente moderno, descontraído e cuidado. Existe de facto um cuidado especial nestes novos escritórios em Portugal.


 


O Guilherme Duarte, responsável pelo Tap My Back foi a pessoa que aceitou receber-me e que esteve à conversa comigo, depois de me apresentar aos membros da equipa. Tive ainda o prazer de conhecer o Rui Gouveia Co-Founder & Head of Innovation no Grupo comOn.


 


O Tap My Back é uma App motivacional de equipas, onde os membros são elogiados pelas suas prestações e pelos vários membros da equipa quando existem situações de destaque.


 


Guilherme, como é que tudo começou?


O Tap My Back foi criado aqui na comOn, ainda antes de ser criado o Build Up Labs, a venture builder do grupo comOn. Surgiu de uma necessidade interna da empresa porque dentro da agência notou-se que a equipa estava a ficar desmotivada, numa fase em que a empresa estava a crescer e havia muito trabalho. Na altura, os fundadores da comOn foram falar com as pessoas todas da equipa, perguntaram porque é que isso estava a acontecer. Pelo feedback geral percebeu-se que a questão não era tanto o esforço adicional que estava a ser pedido, as pessoas percebiam isso, percebiam que fazia parte das dores de crescimento, mas era a falta de feedback, de reconhecimento por esse trabalho que fazia diminuir o ânimo. Então na altura por brincadeira, mas para tentar resolver esta situação, criou-se esta aplicação dentro da equipa que servia para andarmos a atribuir medalhas uns aos outros e para nos reconhecermos mutuamente. Só que funcionou tão bem cá dentro, que passou a fazer parte da cultura da empresa e “dá-me um tap” passou a ser parte do jargão da comOn. Pensamos então que se calhar tínhamos criado algo que podia ser um produto e que poderia ser uma forma de ajudar outras equipas noutras empresas com o mesmo problema.


 


Inicialmente apresentou-se o Tap My Back aos clientes da comOn, para saber o que é que eles achavam, recolher o feedback, saber se queriam fazer uma experiência na empresa deles e correu bem. E foi aí que o Tap My Back se tornou o Tap My Back e fez uma espécie de spin off e se tornou um produto empresa, independente. A aplicação esteve sempre em inglês para atacar desde logo o mercado global e hoje em dia estamos um bocadinho em todo o mundo. Cá em Portugal temos alguns clientes, mas parece-nos que ainda não é o mercado mais maduro para este tipo de aplicações.


 


Os países com maior aceitação são: Estados Unidos, Inglaterra, Austrália, Canadá.


 


Futuro, mais funcionalidades ou mais produtos?


Temos sempre novas ideias, mas temos de ir com calma. Percebemos que o produto já funciona no mercado. Estamos a tentar perceber qual é o product market fit e vamos adicionando novas funcionalidades, com o feedback dos clientes e caso tenhamos 2 ou 3 clientes a pedir a mesma coisa, nós damos prioridade ao tema e avançamos nesse sentido.


 


Por exemplo quando nós estivemos no websummit nós tínhamos a ideia de integrar o Tap My Back com o slack, já tínhamos esta ideia, mas no web summit 90% das pessoas que iam conhecer o Tap My Back perguntavam: ”Tem integração com o Slack?” e então quando chegamos a primeira coisa que fizemos foi isso. Passada uma semana tínhamos a integração toda feita, na loja de aplicações do Slack e acabou por se verificar essa importância. Este movimento gerou atração para a aplicação, portanto é um pouco assim que nós vamos caminhando e desenhando o futuro da aplicação.


 


Como é que conseguem esse feedback? Vão junto dos clientes, conhecer os clientes? Como é que eles são?


Nós percebemos agora que o nosso cliente tipo são organizações cuja realidade gira em torno das 50-500 pessoas por equipa, anda por aí. No entanto, percebemos também que há várias formas de utilização do Tap My Back. Há empresas que colocam todos os colaboradores da empresa dentro da mesma equipa, e aí talvez sejam dos 50 aos 500 utilizadores o tamanho ideal, mas depois é possível ter várias equipas dentro de uma empresa.


 


Mas na realidade em que que existem equipas por departamento, ou equipas por projeto as empresas podem ter 1000 ou mais pessoas lá dentro, com dezenas de equipas.


Tapmyback_2.jpg


 (Fotografia Andreia Trindade)


 


Mas pensamos que o público alvo que melhor se adapta é o da geração high tech ou geração Millenium que está habituado a comunicar pelas redes sociais. Neste tipo de aplicações são tipicamente as equipas onde há mais aceitação e que dão mais feedback e acaba por ser muito o trabalho do team líder que instala a aplicação e que adiciona os membros da equipa.


 


Para dotar a aplicação com a informação válida, lemos muitos artigos e estudos da área motivacional que recomendamos sempre que nos colocam algumas questões mais relacionadas com temas de recursos humanos. Temos algumas parcerias com Consultoras de Recursos Humanos para a comercialização do produto, porque consideram o mesmo uma boa ferramenta de trabalho em equipa.


 


Esta conversa foi longa, por isso continua em breve.

KuantoKusta: App de ajuda financeira

A facilidade com que comparamos preços online é um grande benefício que as aplicações web e mobile nos dão. Como já partilhei convosco, esta foi uma das principais razões que me levaram a utilizar as Apps de forma mais recorrente.


 


Mas agora a situação tem vindo cada vez mais a ser trabalhada. Existem várias aplicações comparadoras de preços e indicadoras dos descontos. Pensar que já não preciso percorrer 4 ou 5 marcas de lojas para garantir que estou a comprar a máquina de lavar que quero ao preço mais barato é de facto de louvar, pela paciência e tempo que me poupa e que eu valorizo.


KuntoKusta.PT.png


  


Tenho estado a utilizar o KuantoKusta e estou satisfeita! Há medida que o tempo passa mais lojas têm vindo a aderir ao conceito e neste momento segundo a informação do site, já conta com a informação de 500 lojas. Conta também com uma variedade de produtos que se está a tornar cada vez mais interessado, tendo sido a última a disponibilização de preços comparativos de produtos de supermercado.


 


KuntoKusta_2.PT.png


  


Quando é que eu utilizo a App? Utilizo quando quero adquirir um determinado produto específico e coloco a descrição no campo da pesquisa ou os números do código de barro do produto e automaticamente aparecem as opções disponíveis com a indicação do preço do produto nas diferentes lojas.


 


Esta plataforma irá com toda a certeza crescer e à medida que mais lojas forem aderindo com os seus produtos, mais rica se tornará esta fonte de informação. Bom trabalho KuantoKusta, espero que esteja com uma equipa de marketing à altura da App.


 


Caso estejam a pensar comprar pcs, portáteis, tablets, telemóveis e smartphones, a base de informação já é bastante interessante e ajuda a perceber qual é de facto o melhor preço. Boas compras conscientes.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Julho 2016

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

subscrever feeds

BlogsPortugal

Google Analytics